Empresário e dois funcionários são presos suspeitos de adulterar produtos terapêuticos

A Delegacia de Investigação Criminal (DIC) de Caçador realizou nesta segunda-feira (26), uma operação de cumprimento de mandados de prisão e mandados de busca e apreensão em uma empresa do ramo de extintores em Caçador.

Há cerca de três meses a Dic Caçador, apura os crimes de falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais, crimes contra o consumidor, associação criminosa e homicídio, praticados por um empresário do município e dois funcionários de sua empresa.

Nesta segunda-feira, os agentes cumpriram três mandados de prisão e seis mandados de busca e apreensão, todos na cidade de Caçador. A investigação apontou que o empresário vem comercializando oxigênio medicinal há cerca de 12 anos, sem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
Lembrando que o oxigênio medicinal é considerado um medicamento e é receitado por médicos para pacientes com doenças pulmonares, os quais podem ter baixos níveis de oxigênio em seu corpo e, às vezes, precisam usar oxigênio extra para trazer seus níveis de oxigênio a um patamar saudável.
O oxigênio é uma necessidade básica para todos os seres humanos. O ar que respiramos contém 21% de oxigênio. Essa quantidade é suficiente para pessoas com pulmões saudáveis e para muitas com doença pulmonar. Entretanto, algumas pessoas com doença pulmonar são incapazes de obter oxigênio suficiente através de uma respiração normal e precisam de oxigênio extra para manter as funções vitais normais.
Há fortes indícios de que os investigados promoviam a adulteração de cilindros, pintando-os e tirando etiquetas de cilindros utilizados para acondicionar oxigênio industrial, para vendê-los como se fossem medicinais.
O cilindro de cor verde é utilizado para acondicionar o oxigênio hospitalar. Já o cilindro preto  serve para envasar o oxigênio industrial, que não é envasado com uma maior tecnologia (não passa por testes para constatar a limpeza, por exemplo). Há o risco de que os cilindros de cor preta, que são muito utilizados em oficinas, tenham resíduos que não podem ter no oxigênio hospitalar.
Já foram identificados pacientes para os quais a empresa entregou oxigênio industrial, como sendo oxigênio medicinal. Há casos até em que o paciente veio a óbito em razão de complicações respiratórias, após o uso de cilindro de oxigênio industrial fornecido pela empresa. Os cilindros industriais eram entregues inclusive em hospitais de Caçador e região.

Durante as buscas na empresa em Caçador, foram apreendidos cilindros de oxigênio medicinal, os quais foram submetidos a exames por peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP), sendo constatado que todas as amostras analisadas apresentavam oxidação interna, o que pode causar contaminação do gás e prejuízos à saúde dos pacientes.

Diante dos fatos o empresário e os dois funcionários foram encaminhados para a Delegacia e em seguida ao Presídio Regional de Caçador, onde ficarão a disposição da Justiça. Com informações e fotos Polícia Civil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com palavrões, ofensa moral, xingamentos ou que possa denigrir a imagem de alguém ou do blog não serão aceitos.