Estatuto do Desarmamento, ou usurpação do direito de autodefesa

Jornalismo Opinativo

Luiz Michel Zanatta

Diretor/Fundador Geral
 Diretor Jornalistico
 Diretor de Fotografia
Bem, como prometido e aguardado por muitas pessoas por muito tempo, vou começar a os trabalhos e a movimentar meu blog. Bem essa semana, para estrear os trabalhos no blog, falaremos sobre um assunto bastante polêmico e que gera dúvidas em muitos cidadãos.

Lembrando que todo o conteúdo publicado nesta página terá total responsabilidade de seus editores, e se alguém se sentir prejudicado, poderá procurar os meios jurídicos cabíveis, bem como o setor jurídico do Blog.
Gostaria de lembrar ainda que sugestões de pautas, vídeos, fotos, e qualquer material que seja de interesse público, poderão ser encaminhadas via WhatSsap (49) 9810-9347 e pelo e-mail -luizmichelz@gmail.com

Queria deixar ainda, em aberto, para que o nosso leitor nos encaminhem os assuntos, e sugestões de nome pra o nosso blog, o nome mais criativo poderá ganhar um super premio de final de ano, sendo que o sorteio será realizado no último dia do ano de 2015, ou seja, no dia 31 de dezembro, onde o nome mais votado poderá ganhar um super premio de fim de ano. 

Participem, e nos mandem suas sugestões, críticas, pautas, elogios, denúncias, fotos, vídeos, etc... De tudo o que vocês acharem bacana e respondendo a seguinte pergunta: Por que a importância do seu material deve ser publicado em nosso site? Deixe três argumentos que me convença e poderemos publica-lo "RSRSRSRSRS"... 

Estatuto do Desarmamento, ou usurpação do direito de autodefesa

O cidadão brasileiro hoje vive uma enorme ditadura partidária devido um governo corrupto que está no poder. Desde 2003, quando o maior mandante da quadrilha entrou no poder, no dia seguinte a sua sanção, em 22 de dezembro daquele ano, o cidadão começaria a perder o seu direito de defesa, como previsto na Constituição Federal.

Dos Fatos I

A CF de 1988 prevê em seu Art. 5º que fala que Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: LV o qual diz “aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes”.

Dos Fatos II


Ou seja, este direito constituinte, foi usurpado do cidadão com a criação da Lei Federal Nº 10826 de 22 de dezembro de 2003, regulamentada pelo decreto 5123 de 1º de julho de 2004 e publicada no Diário Oficial da União em 2 de julho de 2004, que “dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição (...)”

Dos Fatos III

Casa do tiro
Todo o direito que o cidadão brasileiro desfrutava de ter uma arma para a sua própria defesa e defesa de toda a sua família, foi tomado por uma lei que o próprio governo criou. As expectativas eram de que os homicídios teriam quedas, porém, não foi o que aconteceu. Tirando o direito do cidadão de bem se defender, o Estado criou algo mais grave, onde mostra a sua incapacidade em  oferecer algo que é de seu dever, a segurança ao cidadão.


Dos Fatos IV

Com a retirada das armas de fogo das mãos do cidadão de bem, o Estado Brasileiro gerou mais mortes, temos como exemplo. O Estatuto do Desarmamento só teve resultado entre 2003 e 2007, onde houve uma queda e posteriormente uma estabilização da taxa de homicídios. Isso se deve, segundo o pesquisador, a “estratégias de desarmamento e políticas nos estados mais violentos”. De 2007 a 2012, porém, as taxas retomaram a tendência de crescimento. Só entre 2011 e 2012, o aumento foi de 7%, isso significa que em um ano, podemos considerado um crescimento “pesado”, segundo Waiselfisz. O sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, que coordena a Área de Estudos da Violência da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), tem produzido levantamentos sobre violência desde 1998. O “Mapa da Violência 2014” foi desenvolvido a partir da divulgação recente dos dados de mortalidade referentes ao ano de 2012 pelo SIM.

Dos Fatos V

Como podemos acompanhar, com a usurpação do direito de autodefesa, o cidadão de bem, o pai de família, o trabalhador tem ficado mais imune à bandidagem. Afinal, bandido não se enquadra no tão glorioso Estatuto do Desarmamento. Pelo simples fato de que eles não respeitam as Leis, e que o cidadão é seu cordeirinho, pois é mais vantajoso e seguro um bandido assaltar, estuprar, sequestra um cidadão ou a filha de alguém que não esteja armado, pois se ele pega alguém que tenha o simples fato de poder se defender, ele está arriscando a sua própria vida.
Foto: http://www.portoferreirahoje.com.br/

Vamos à conclusão

Devido esses fatos, chegamos a conclusão de que é mais cômodo para o governo que o cidadão de bem esteja desarmado, do que tenha ou possa usufruir do direito de autodefesa. Sendo assim, logo podemos concluir, que o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, visou, logo de cara, deixar a população imune a seus ataques e aos ataques de sua corja militante, consecutivamente, sua bem-criada e terrorista Dilma Rousseff, deu continuidade ao legado de usurpação de direitos de todo o cidadão de bem. Sendo assim, de certa forma, provocaram um massacre entre o povo brasileiro, onde o “logo” (bandido), hoje muito bem armado, inclusive com armamento igualadas às forças armadas em poderio de fogo, pode matar, assassinar, chacinar os “cordeirinhos” (nação brasileira), sem precisar se preocupar, pois as Leis do País são falhas, ineficazes e muitas vezes inúteis perante os criminosos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com palavrões, ofensa moral, xingamentos ou que possa denigrir a imagem de alguém ou do blog não serão aceitos.